logo
ballon

Cristina Carvalho

Há 7 anos que trabalho no ramo imobiliário e esta é a minha paixão. O meu objetivo é tornar os sonhos dos meus clientes realidade.

PARA VENDER/COMPRAR FALE COMIGO

910 102 220

Os erros mais comuns na venda de uma casa que deve evitar

Se está a pensar colocar a sua casa à venda, considere ver primeiro estes 7 pontos

1. Não contratar um profissional

Tentar vender a sua própria casa pode ser o maior erro que pode cometer. A ligação emocional que tem com o imóvel não o vai ajudar na venda da sua casa, vai, pelo contrário, dificultar o processo. Além de não ter a experiência e as competências necessárias, a sua apresentação da casa nunca será imparcial, o que trará desconfiança por parte dos potenciais compradores. Por outro lado, um profissional sabe como analisar os perfis dos potenciais compradores e como valorizar o imóvel. Está comprovado que os vendedores particulares demoram mais tempo a vender os imóveis e que acabam por vendê-los por um valor mais baixo do que o valor de mercado.

 

2. Anunciar online sem conhecimento na área do imobiliário

Este é um erro que vem por acréscimo ao erro anteriormente apresentado. Ao decidirem não contratar um profissional, muitas vezes, nos dias de hoje, as pessoas decidem vender o seu imóvel online, uma vez que é uma opção mais barata e aparentemente rápida. Contudo, a grande maioria das vezes, esta ação tem um efeito negativo na imagem da casa que estão a tentar vender. Isto porque, muitas vezes, são apresentadas fotografias de má qualidade, que não revelam o melhor da casa ou que mostram divisões sujas, desarrumadas ou uma decoração pouco apelativa, que levam os consumidores a desistir do imóvel logo à partida. Outro erro que as pessoas cometem é colocar informação errada nos motores de pesquisa ou não colocar todas as informações relevantes, o que pode levar quem está a pesquisar a não encontrar o seu imóvel, a perder o interesse de imediato ou até a descredibilizar por completo aquela oferta.

 

3. Evidenciar as pequenas falhas da casa

Mencionar logo no primeiro encontro pequenas falhas que a casa tem é uma má decisão. A primeira impressão conta muito na compra de uma casa. Caso esta impressão seja logo negativa, ainda que esteja a tentar ser o mais verdadeiro possível, é muito improvável que o comprador queira ficar com a casa, mesmo que as falhas sejam quase insignificantes.

 

4. Pedir um valor desajustado do valor de mercado

Este é um dos erros mais frequentes e pode acontecer nos dois sentidos. Isto é, colocar um preço demasiado alto e colocar um preço demasiado baixo. Por um lado, quando o preço está demasiado alto, os compradores excluem logo a casa das suas opções. Por outro, quando o preço está demasiado baixo, o potencial comprador vai associar este preço à fraca qualidade do imóvel e imagina que a casa tem vários problemas escondidos. Determinar o preço certo de uma casa é algo que exige muito conhecimento e experiência na área do imobiliário e é algo fulcral no processo de venda.

 

6. Vender/mostrar a casa vazia

Para muitas pessoas, uma casa vazia não é atraente. Caso não tenha mobília, pode sempre optar por decorar apenas a sala e um ou dois quartos com o básico, a partir de um pequeno investimento. A ideia de fazer isto é mostrar o potencial daquele espaço, dando-lhe alguma roupagem. Segundo a minha experiência, compensa comprar alguma mobília que depois pode vender (ao futuro inquilino ou a outros). A regra diz que investindo 1% a 3% do valor de venda consegue-se uma valorização na ordem dos 7% a 15%. Contudo, não deve apresentar a casa com mobília personalizada, com quadros com fotos suas e dos seus familiares, objetos religiosos, clubísticos ou outros. A mobília deve ser o mais neutra possível e que permita aos potenciais novos moradores começarem a idealizar o seu próprio espaço ao seu estilo.

 

7. Perfumar demasiado a casa

Uma casa com mau cheiro muito dificilmente será vendida. Contudo, uma casa com um cheiro a perfume demasiado intenso e que não agrade aos novos moradores não é melhor e, muitas vezes, pode até ser pior. Para começar, não deve utilizar o perfume para esconder maus odores existentes (como de mofo ou de animais de estimação). Deve, antes de mais, limpar muito bem a casa e dar primazia à limpeza. Depois, pode utilizar um perfume muito subtil e pouco intenso, de modo a ser do agrado de qualquer pessoa ou que, pelo menos, não incomode quem não o apreciar. A questão do cheiro está também relacionada com o primeiro contacto com a casa, caso o cheiro não agrade aos potenciais compradores, é pouco provável que estes venham a comprar a casa.

Autora
Tags